Mercado

Juros baixos deixam mercados de capitais muito aquecido, diz Benchimol, da XP

Fonte - Valor Investe
13/01/2021 15:49
43

Bechimol comentou que está otimista para os próximos anos e que se o Brasil encaminhar as questões ficais e reformas estruturais, o número de IPOs em 2021 tende a superar o recorde anterior, de 2007

A injeção de capital pelos bancos centrais para mitigar os efeitos da pandemia de coronavírus e o cenário de juros baixos no Brasil deixam o mercado de capitais aquecido, disse o fundador e presidente da XP Inc., Guilherme Benchimol, em “Live do Valor” nesta quarta-feira.

Bechimol comentou que está otimista para os próximos anos e que se o Brasil encaminhar as questões ficais e reformas estruturais, o número de ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) em 2021 tende a superar o recorde anterior, de 2007.

“É importante que governo consiga manter as contas públicas nos trilhos”, disse. “Se fizermos nosso dever de casa, vamos superar o recorde de ofertas de ações este ano”, acrescentou na live.

Ele avaliou que juros a 2% ao ano geraram um estímulo natural por ativos de maior risco, como ações, inclusive por pessoas físicas, que sempre tiveram um perfil mais cauteloso e um incentivo para aplicar em renda fixa. Mas, segundo ele, 3 milhões de investidores pessoas físicas na Bolsa de Valores ainda é pouco, dando espaço para crescer nos próximos anos.

O presidente da XP apontou que neste cenário que o Brasil vive, todos os setores, inclusive as empresas menores, são atrativas, mas que as companhias de tecnologia se destacam com a nova cultura criada pela pandemia. “Com a pandemia, as pessoas naturalmente ficaram mais conectadas, elas aprenderam a trabalhar de casa. Podemos dizer que evoluímos alguns anos. Assim, somando os juros baixos e mudanças de hábitos, tecnologia é o setor que vai mais vai crescer nos próximos anos”, prevê o executivo.

Para Benchimol o maior desafio é manter os juros em patamares próximos ao atual. E isso depende das reformas. “O maior desafio é a capacidade do governo de articular com o Congresso. Estou confiante nisso. Se houver uma comunicação eficiente, temos chance de conseguir aprovar as reformas”, avaliou.

Na visão dele, com relação à reforma tributária, equilibrar a quantidade de impostos pagos sobre o consumo e a renda e uma simplificação são importantes para impulsionar a economia brasileira.

O presidente da XP entende que o Brasil já vive uma transformação empreendedora e o fundamental para alavancar isso, juros baixos, “já está na mesa”. “Impostos mais eficientes, tirar as burocracias, é importante, mas o maior desafio está na mesa, que é garantir que siga nessa direção de juros baixos a longo prazo”, ressalta.

Ao mesmo tempo, ele lembra que o início da vacinação brasileira deve ser feita o quanto antes para a retomada da economia. “Vacinação é o que vai trazer a vida de voltar ao normal, ainda devemos ter primeiro semestre meio confuso. No segundo semestre podemos voltar ao normal”, disse Benchimol.

Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Esqueceu sua senha?
Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Um e-mail de confirmação chegará em sua caixa de entrada
Cadastrar Login
Cadastrar