Mercado

A importância de ter um estagiário em sua empresa

Fonte - Inov
16/04/18 15:30
413

O estágio é uma forma eficiente de se juntar teoria e prática.

Abordar um tema, qualquer que seja ele, nos remete a uma pesquisa interessante que nos encaminha a estabelecer uma organização mental para melhor discorrer sobre ele.

   Para falar de estágio e estagiários em empresas na contemporaneidade e sua importância para o desenvolvimento intelectual e profissional, gostaria de lembrar que, o trabalho sempre fez parte da vida dos seres humanos. Foi por meio dele que as civilizações alcançaram o desenvolvimento atual. Podemos definir trabalho como qualquer atividade física ou intelectual, realizada pelo ser humano, cujo objetivo é transformar, fazer ou mesmo obter benefícios. 

    O trabalho, por si, gera no indivíduo que o executa uma série de conhecimentos,  satisfação pessoal e claro, o desenvolvimento econômico. É por meio do trabalho que na sociedade moderna o ser humano adquire bens materiais que trazem maior conforto à vivência. Existe, entretanto, uma diferença entre trabalho e emprego. O trabalho refere-se a toda atividade executada o que necessariamente não envolve o assalariamento. Já o emprego refere-se ao cargo ou ocupação de um indivíduo numa empresa ou órgão público.

    O trabalho tem a capacidade de desenvolver nosso raciocínio, a habilidade de encontrar soluções para problemas apresentados, de colaborar com a criação e execução de projetos, além de melhorar nossas relações interpessoais e de  lidar com situações diversas e adversas que contribuem com nosso crescimento pessoal.  Portanto, para que possamos desempenhar um trabalho de qualidade nos nossos empregos, devemos seguramente estar bem preparados para exercê-lo, o que significa dizer que o mercado de trabalho está cada vez mais exigente com a qualificação de seus contratados e que todo aquele ou aquela que pleiteia um emprego ou que quer manter o já existente, tem que investir em formação, em qualificação.

    Estudar é uma forma de se obter qualificação, porém, a teoria desvinculada da prática por si só não basta. Quando o indivíduo se apropria do conhecimento e se beneficia das contribuições teóricas referentes às compreensões desta  aprendizagem específica, abre possibilidades de escolher as formas mais eficazes de trabalhar, consegue vencer as dificuldades que se apresentam vislumbrando novos caminhos que conduzam a um desempenho com qualidade. 

    Pimenta (2005, p.26) afirma que o saber não é formado apenas da prática, sendo também nutrido pelas teorias (...), pois, ao nos apropriarmos de fundamentação teórica nos beneficiamos de variados pontos de vista para uma tomada de decisão dentro de uma ação contextualizada, adquirindo perspectivas de julgamento para compreender os diversos contextos do cotidiano. O estágio é uma forma eficiente de se juntar teoria e prática.

 

    O que seria, portanto, o estágio? O estágio é uma atividade desenvolvida por educandos  em empresas ou instituições com o objetivo de complementar a aprendizagem através da vivência no mundo do trabalho dos conteúdos obtidos em sala de aula. Auxilia na integração do estudante com a sociedade, através da adaptação psicológica e social à sua futura atividade laboral. O termo estágio foi citado pela primeira vez na literatura no ano de 1080, em latim medieval stagium, significava residência ou local para morar. Este por sua vez foi originado do latim clássico stare que significava “estar num lugar”.

     “No Brasil, as mudanças no conceito de estágio foram acompanhadas pela evolução da legislação educacional. Os debates em torno de uma nova legislação sobre estágio ocorrida no Congresso Nacional Brasileiro, a partir da primeira década do século XXI, demonstraram a existência de um confronto entre aqueles que defendiam o estágio com foco no interesse da escola e os que focavam o interesse das empresas. Este fato motivou a busca histórica das legislações sobre o tema e sua analogia com a norma atualmente vigente, e o conceito subjacente a elas, objeto de estudo desta pesquisa. Para tanto, será apresentada uma analogia entre as normas que regulamentaram o estágio escolar a partir da década de 1940, e a atual Lei do Estágio (Lei nº 11.788/2008), observando os avanços e os desafios em sua implantação, na expectativa de que tenha sido um avanço na regulação deste processo pedagógico, conceituando-o como componente curricular. (Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 53, p. 171-186.)

     Portanto, desde seu nascimento no latim, o termo “estágio” sempre esteve vinculado à aprendizagem posta em prática num adequado local sob supervisão (ESTÁGIO, 2001, p. 1245). Qual seria então a relação estabelecida entre trabalho, emprego e estágio?

     O estágio é uma atividade desenvolvida pelos educandos  em empresas ou instituições e tem por  objetivo promover a  complementação dos conhecimentos adquiridos em sala de aula  através das experiências praticadas no mundo do trabalho. A atividade de estagiar auxilia na integração do educando através da adaptação psicológica e social à sua futura atividade social.  O estágio curricular, seja ele obrigatório ou não, tem a função de propiciar ao estagiário o aprendizado social, profissional e cultural, tendo como resultado uma reflexão real e futurista dos novos cenários sócio-econômicos. O estágio não é um emprego. Ele é um complemento do aprendizado dos cursos de nível médio, técnicos ou superiores, regido pela legislação de estágio em vigor, Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008. Esta Lei apresenta base jurídica para que o estágio permaneça vinculado ao processo educativo.

      O objetivo principal de o estágio, fazer parte da matriz curricular das instituições de ensino,  é  sem dúvida, formar profissionais mais capacitados e adequados ao mundo do trabalho que cada vez mais tem se tornado exigente.  Os programas de estágio capacitam os educandos para a atuação, como também contribuem para o desenvolvimento das instituições privadas e públicas. Compreendemos que esta atividade beneficia tanto o estudante quanto as empresas.

     Os Programas de Estágio quando  bem estruturados, permitem trocas de experiências valiosas entre os estagiários e os vários setores da empresa onde estagia. Durante o período do estágio é oportunizado aos educandos conhecer a estrutura organizacional da empresa, o que ela busca como perfil dos seus contratados possibilitando assim que ao fim do estágio o educando esteja apto a concorrer por uma colocação na empresa onde estagiou.

      Se o estágio é bem estruturado, tem o acompanhamento correto de um orientador, os estagiários terão a certeza que a parte prática de sua formação será de boa qualidade. As empresas que recebem estagiários também devem ser avaliadas pelos educandos quanto ao respeito com que os recebe e se demonstram orientação adequada por compreenderem que são indivíduos em formação para o mercado de trabalho.

      Para as empresas é inegável as vantagens de se ter em seus quadros educandos estagiando. São indivíduos que produzem com afinco, pois, tem sede de aprender para ser parte integrante da empresa e por conseguinte do mercado de trabalho.

      Um site denominado www.administrador.com define assim a importância para a empresa de se ter estagiários em sua equipe:  “Antecipa a preparação e a formação de um quadro qualificado de recursos humanos e permite a descoberta de novos talentos, preparando a empresa para o futuro;  Cria e mantém um espírito de renovação e oxigenação permanente, proporcionando um canal eficiente para o acompanhamento de avanços tecnológicos e conceituais; Eficiente sistema de recrutamento e seleção de novos profissionais, pois reduz o investimento de tempo, de meios de trabalho e de salários a que a empresa está sujeita;  Isenção de encargos sociais e trabalhistas, decorrentes da não vinculação empregatícia;  Permite o cumprimento de seu papel social, ajudando a formar as novas gerações de profissionais que o país necessita”.

     O estágio é uma forma eficiente de se juntar teoria e prática. É a  interação dialógica entre os saberes que gera o desenvolvimento de uma prática autônoma e emancipatória formando profissionais cada vez mais capacitados. 

     Empresário, vale a pena acreditar. Contrate um Estagiário.

Márcia Pereira Carvalho

Pedagoga, Psicopedagoga e  Mestre em Sociedade , Tecnologia e Políticas Públicas.

É Diretora Geral do Colégio Mais Padrão e    Assessora Especial do Instituto Nova Vida-  INOV-

Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás

O pilar de atuação da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Goiás (Acieg) é a defesa incondicional do empresariado e dos princípios de organização e união para vencer os novos desafios em um mundo globalizado e competitivo. A história empresarial de Goiás é a própria história de lutas e conquistas da Acieg, iniciada em 1937. Com uma trajetória gloriosa, a Entidade está voltada para o presente e o futuro do nosso Estado.

Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Esqueceu sua senha?
Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Um e-mail de confirmação chegará em sua caixa de entrada
Cadastrar Login
Cadastrar