Institucional

Acieg debate Workshop sobre Combate ao Roubo e Receptação de Cargas

Fonte - Paula França - Imprensa Acieg
19/08/19 15:42
557

O transporte por rodovias é o mais utilizado no Brasil, porém, o crime de roubo de cargas assusta empresários, motoristas de caminhões, transportadores e até mesmo a sociedade. Em uma pesquisa realizada por um comitê de cargas do Reino Unido apontaram o Brasil como o 7º lugar no ranking de roubo de cargas entre 57 analisados.

Pensando nesse cenário, a Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg) em parceria com as empresas privadas e os Órgãos de Segurança Pública Federias e Estaduais, realiza hoje (19) e amanhã (20), o Workshop sobre Combate ao Roubo e Receptação de Cargas, com o objetivo de debater e aprofundar a discussão sobre o tema, compartilhando ideias, tecnologias e soluções.

“A Acieg está unindo o setor público com o setor privado, hoje o que temos aqui é uma gama de entidades para apresentar as melhores práticas e indicadores diante deste cenário. O setor privado também está trazendo ferramentas e tecnologias para demonstrar união ao setor público e produtivo para combater ao roubo e receptação de cargas em Goiás", comentou o presidente da Acieg, Rubens Fileti.

A possibilidade de roubo de cargas é cada vez mais preocupante. De acordo com um levantamento da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC), em 2018 foram realizados mais de 22 mil ataques a motoristas em todo território nacional. O mesmo relatório apontou que o prejuízo para o setor produtivo com a perda de cargas e veículos chegou a cerca de R$ 2 bilhões.

Durante o evento, o Coronel Marcelo Vilanova, da Reserva Ativa do Exército, declarou que o Workshop é uma oportunidade de integração entre as esferas públicas e privadas. “É preciso promover este tipo de evento integrador, pois a inciativa privada traz um elo de inteligência junto ao setor público no auxílio do combate ao crime”, pontuou o Coronel.

O roubo de cargas não é aleatório, existem alguns produtos que são mais visados. De acordo com a Polícia Civil do Estado de Goiás estão no ranking das mercadorias mais roubadas/furtadas de 2018: produtos alimentícios, cigarros, eletrodomésticos, combustíveis, produtos farmacêuticos, bebidas, autopeças, têxteis e confecções e produtos químicos.

Para o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Estado de Goiás (Setceg), Paulo Afonso Rodrigues da Silva Lustosa o crime migra, evolui e cresce com uso da tecnologia, e precisa ser feito   um investimento na área de inteligência para combater o crescimento e a especialização do crime organizado. “Os empresários precisam apoiar as forças policiais no sentido de colaborar na prevenção e orientação dos gestores e transportadores de cargas (motoristas e seus auxiliares), orientando para que eles ajudem a combater este cenário”, ressaltou Lustosa.

O conteúdo programático consigna as seguintes palestras: Apresentação dos cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa pública e privada, Isolamento e Preservação do Local de Crime, Documentos para Transporte, Rastreamento Veicular, Predição, Prevenção e Fundamentação Baseada em Dispersões em Monitoramento de Veículo, Roubos de Carga e a Segurança da Cadeia Logística e Tecnologia de Localizadores.

O evento conta com a participação além de Rubens Fileti e do Coronel Marcelo Vilanova; o deputado estadual, Eduardo Prado; policiais civis de Goiás (delegados e agentes); policiais militares; policiais rodoviários federais; diretores da entidade e outras lideranças empresariais.

Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Esqueceu sua senha?
Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Um e-mail de confirmação chegará em sua caixa de entrada
Cadastrar Login
Cadastrar