Economia

Fundos imobiliários têm quedas de até 62% em 2020

Fonte - Valor Investe
03/06/2020 11:12
93

Levantamento mostra desvalorização, em especial entre produtos que investem em shoppings e imóveis corporativos. Perda de atratividade está ligada a home office para conter covid-19

Os fundos de investimentos imobiliários (FII) acumulam quedas expressivas em 2020, de até 62%, no embalo da propagação da pandemia do novo coronavírus, que reduz as expectativas de valorização dos imóveis.

Segundo um levantamento realizado pela plataforma de busca de investimentos Yubb, entre os fundos imobiliários que compõem o IFIX, um índice da bolsa brasileira que reúne os maiores FIIs do país, aquele com pior desempenho no acumulado de 2020 (até 20 de maio) foi o TRX Edifícios Corporativos, cuja quota perdeu 62,21% de seu valor.

A pesquisa joga luz sobre outras características, como a predominância, no ranking dos 20 piores, de fundos que investem em imóveis para uso empresarial.

 

“Isso é muito representativo. Esse setor sempre foi um dos favoritos dos brasileiros que gostam de investir em fundos imobiliários, afinal, grandes empresas alugando grandes prédios para trabalhar é ótimo negócio. Mas não agora, com o coronavírus”, explica Bernardo Pascowitch, fundador do Yubb.

 

Segundo o executivo, essa perda de atratividade está ligada à instituição do home office por grande parte das empresas, em um contexto de isolamento social para conter a propagação da covid-19.

“Agora, muitas instituições estão prorrogando o home office até 2021, ou mesmo fechando escritórios e aplicando essa estrutura de trabalho permanentemente. [São] situações que podem afetar ainda mais o setor”, ele completa.

Outro subsetor que se destaca entre os 20 piores FIIs de 2020 é o de shopping centers, representado no ranking com cinco fundos. “Esses FIIs possuem participação na receita dos imóveis, ou seja, se os lojistas vendem, os fundos também ganham. Com os estabelecimentos fechados, não há vendas e, consequentemente, não há ganhos”, pondera Pascowitch.

 

Na mesma linha, o mercado de fundos imobiliários que aplicam em hotéis também demonstra vulnerabilidades – está representado no ranking pelo fundo Hotel Maxinvest, que caiu 43,85% no ano, o quinto pior desempenho.

Para o fundador do Yubb, essa situação não deve se normalizar imediatamente após a reabertura. “O turismo parou. Ninguém viaja ou se hospeda, e os hotéis sofrem. Mesmo com o afrouxamento do isolamento social, o turismo ainda vai demorar muito para voltar ao normal, sendo um dos últimos setores a se recuperar”, afirma.

Foto: Pixabay

Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Esqueceu sua senha?
Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Um e-mail de confirmação chegará em sua caixa de entrada
Cadastrar Login
Cadastrar