Mercado

Viagens: Começa cobrança por bagagem na passagem aérea

Fonte - Pequenas Empresas & Grandes Negócios
02/06/17 08:53
256

Medida já vale para passageiros que comprarem o bilhete na companhia aérea Azul

A cobrança de bagagem em voo nacional começa a ser praticada, nesta quinta-feira, pela primeira vez no Brasil. A medida já vale para passageiros que comprarem o bilhete na companhia aérea Azul a partir de ontem (01). A autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) foi liberada pela Justiça há pouco mais de um mês.

Nos voos nacionais, a empresa criou a classe tarifária, chamada de Azul. Os passageiros que comprarem o bilhete na nova tarifa não terão direito ao transporte de bagagem, somente a mala de mão de até 10 quilos. Caso decidam levar uma mala de até 23 quilos no porão do avião, o valor adicional cobrado será de R$ 30.

Em caso de excesso de peso nos voos nacionais, a Azul cobrará por quilo a mais. O valor muda de acordo com a rota. Em um voo entre os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, o valor é de R$ 23 por quilo.

Nos voos internacionais da Azul para destinos da América do Sul, o limite de bagagem despachada permanece em apenas uma mala de 23 quilos. Nesse caso, no entanto, não haverá cobrança adicional.

A Latam começará a praticar a cobrança por bagagem no dia 18 junho. No caso da cobrança pelo despacho do primeiro volume em voos domésticos, o valor foi revisado pela companhia e, quando implantado, será de R$ 30,00 para compras antecipadas. O limite de peso das bagagens nos voos internacionais será de duas malas de até 23 kg cada. Nos voos para os Estados Unidos e Europa, a multa por excesso varia de acordo com o peso da mala. Entre 24 quilos e 33 quilos, o valor é de US$ 100 (R$ 322). Entre 34 quilos e 45 quilos, a taxa cobrada é de US$ 200 (R$ 644).

Já a Gol iniciará a nova tarifa a partir do dia 20 junho. Quem decidir despachar pagará R$ 30 por uma mala de até 23 quilos, se informar com antecedência, ou R$ 60 no check-in. Já nos voos internacionais, o valor será de US$ 10 (R$ 31) no autoatendimento e agências e US$ 20 (R$ 62) no balcão.

Defesa do consumidor

Entidades de Defesa do Consumidor temem pelo aumento do custo para os passageiros. Já a Agência Nacional de Aviação (Anac), que editou a regulamentação, diz que a oferta de passagens com diferentes perfis torna o mercado mais competitivo. As companhias aéreas alegam que haverá desconto de até 30% para quem não despachar malas. Mas, na prática, cada empresa poderá definir suas próprias regras.

Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Esqueceu sua senha?
Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Um e-mail de confirmação chegará em sua caixa de entrada
Cadastrar Login
Cadastrar