Estilo de Vida

O que dizem as paredes e suas cores

Fonte - Assessoria de Comunicação
20/06/17 17:32
131

Estudos científicos já comprovaram que as cores exercem influência sobre o cérebro humano, estimulando sensações e emoções

Por isso profissionais da área de decoração dão dicas de como não errar na hora de escolher os tons para sua casa.

“Se essas paredes falassem…”. Mas quem disse que elas não falam? Muitos estudos científicos já comprovaram que as cores exercem influência sobre o cérebro humano, estimulando sensações e emoções. Por isso a escolha da coloração a ser usada num ambiente vai muito além do aspecto meramente visual.

De acordo com as arquitetas Nária Sá e Andréia Spessatto, do escritório Sá + Spessatto, a definição das cores e tons a serem aplicados nas paredes podem dizer muito sobre a personalidade de quem vive ou usa um determinado espaço. As profissionais levaram esse aspecto em consideração ao elaborar o projeto Sala de Cora, ambiente que integra a 21ª edição da Casa Cor Goiás e que faz uma homenagem à famosa poetisa goiana. “Fizemos uma pesquisa de campo sobre a vida e a obra de Cora e criamos uma sala de estar que poderia ser usada pela poetisa nos dias de hoje. E as cores que usamos tiveram um papel fundamental nessa personalização do ambiente”, frisa Andréia.

Náira e Andreia optaram pelo tom verde urbano da Suvenil para a Sala de Cora e explicam o porquê da escolha. “Queríamos proporcionar aos visitantes do ambiente uma sensação de tranquilidade. Além disso o verde remete a natureza, algo que Cora sempre admirou, e também a uma pegada retrô”, esclarecem as duas profissionais. Segundo as arquitetas, o verde também proporciona mais luminosidade, está associada ao sentimento de esperança, liberdade, natureza, renovação, vitalidade, calma e fertilidade e a conceitos como saúde, dinheiro, vitalidade e juventude.

As arquitetas orientam que na hora da escolha de qual cor usar nas paredes é preciso levar em consideração o tipo de ambiente onde a tinta será aplicada, as opções de aplicação (como as texturas, tintas semi-brilho, laváveis ou não). “Além disso, a cor pode dar várias óticas a um ambiente, fazer com que ele pareça mais amplo, alegre, luminoso ou quente”, explica Náira.

Por isso, orienta Andréia Spessatto, antes de pôr a mão na massa, ou melhor na tinta, é bom fazer testes, antes de gastar. “Nas lojas especializadas em tintas você consegue comprar as provas, que vêm em latas bem menores e podem ser aplicadas em pequenas partes das parede. As cores também variam muito de um fabricante para outro, por isso fique atento a marca saber se ela trará na parede o efeito que se espera”, afirma Andréia.

Tom escuro

Em outro ambiente da Casa Cor, o Espaço Brasal Incorporações Concept, assinado pela arquiteta Anna Paula Melo, o cinza é uma cor usada de forma ousada. No loft montado na mostra, a profissional uniu sala, varanda e cozinha em um só ambiente e a cor cinza trouxe um sensação de tranquilidade. “Chamo de escolha ousada o uso de um tom escuro nesse tipo de ambiente porque corre-se alguns riscos, as pessoa tem medo de usar essas cores fortes em ambientes comuns. Neste caso para não errar houve um contraponto com os móveis e o piso, tudo muito claro”, explica.

A arquiteta lembra que as cores escuras trazem consigo a sofisticação, mas é preciso atenção, a combinação dessas cores pode facilmente se tornar desastrosa, então sempre que possível o ideal é consultar um profissional para buscar orientação. “Os tons mais fortes têm o poder de valorizar tudo, trazem mais aconchego ao ambiente, mesmo com toda sua ousadia. Por outro lado, não bem colocado pode deixar o ambiente com aspecto triste, masculino demais, e até pesado ”, ressalta Anna Paula.

A arquiteta explica ainda que outra coisa muito importante nessa escolha das cores da parede do ambiente é a combinação com o mobiliário e o restante da decoração, que deve ser leve. “No Espaço Brasal Incorporações Concept, por exemplo, usei tons mais neutros no mobiliário, e madeira para o piso. As cores mais vivas deixamos para as telas e obras de arte”, diz. Neste caso o ambiente tem uma obra muito colorida e que tem história, é uma pintura de Nathalie Edenburg sobre a fotografia de Rogério Mesquita, do projeto “How do I feel today?”. Nele a modelo Nathalie foi fotografada nos 365 dias de 2015 e expressava como se sentia nas fotos a cada dia.

 

Paredes e seus adornos

Além da pintura, as paredes também recebem adereços que vão muito além da pintura. Os ambientes Sala de Cora e o Espaço Brasal Incorporações Concept mostram bem isso. No projeto das arquiteta Náira Sá e Andréia Spessatto, que homenageia Cora Coralina, elas levaram a sensação de aconchego para o ambiente com o uso de um painel em uma das paredes em mármore branco nobre. Além disso, elas usaram o pinázio para adornar os espelhos da parede de fundo do ambiente. Na parte da sala de esta acima do sofá, elas também optaram por uma obra de arte, a tela “A viúva”, do artista goiano Carlos Sena.

Já no ambiente de Anna Paula Melo, as paredes receberam a aplicação do bousserie, um tipo de revestimento originalmente criado na França entre os séculos 17 e 18, com a função de isolante térmico. Proposta que casa perfeitamente com a cor escolhida, o cinza.

 

Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Esqueceu sua senha?
Cadastro Login
Acesse com sua rede social
ou
Um e-mail de confirmação chegará em sua caixa de entrada
Cadastrar Login
Cadastrar