Acieg participa da conferência “Cenário Econômico e agenda BC”, promovida pela Facesp

Entre os temas abordados no encontro estravam inflação e desemprego

Publicado por Acieg em 04 de outubro de 2021

Nesta segunda-feira (04), o presidente da Acieg, Rubens Fileti, participou do encontro “Cenário Econômico e agenda BC” promovido pela Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). O presidente da Facesp, Alfredo Cotait Neto, convidou Fileti para a palestra.

A conferência contou com a presença do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto e aconteceu de maneira remota via plataforma Zoom.

Inflação e os desafios de crescimento

Durante o encontro, o chefe do BC apontou as duras medidas que a instituição tem tomado para controlar a alta da inflação que, de acordo com as expectativas da entidade, pode chegar a 10,05%, batendo o maior recorde da série histórica. Esse é o maior percentual desde 2015.

“Há previsão de termos no acumulado de 12 meses, com um pico no mês de setembro. A gente ainda tem uma inflação alta em setembro”, disse em palestra na Facesp.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial no País, chegou a 1,14% em setembro. A taxa é superior ao resultado de 0,89% de agosto e a 0,45% de setembro do ano passado. Com o resultado, a prévia da inflação oficial acumula taxas de 7,02% no ano e de 10,05% em 12 meses.

Campos atribuiu a alta da inflação a “dois choques” ocorridos em 2020 e 2021. Segundo o presidente do BC, no ano passado o Brasil sofreu com um forte aumento dos preços dos alimentos associado a uma grande perda de valor do real em relação ao dólar.

Neste ano, a inflação está sendo puxada, de acordo com a análise de Campos, pelo aumento dos preços da energia. A gasolina, segundo o presidente do BC, continua subindo, apesar da quase estabilidade do preço do combustível a nível internacional, pela alta do etanol, que faz parte da composição vendida no Brasil, e o aumento dos valores dos fretes.

“O etanol subiu mais de 40% no ano e o frete subiu também”, destacou.

Com informações da Agência Brasil