Brasil é o país com maior número de fintechs da América Latina

São Paulo ocupa a quarta posição de cidade com maior número de fintechs no mundo

Publicado por Acieg em 24 de novembro de 2021

Buscar linhas de crédito para investimentos ou reajustes de contas e dividendos se tornou o principal critério no momento de procurar o melhor lugar para fazer aportes financeiros. Todavia, esse processo se tornou burocrático e insuficiente para atender a atual demanda.

De acordo com o relatório “2021 Global Fintech Rankings”, produzido pela Findexable em parceria com a Mambu, fintech alemã de soluções bancárias, no ano de 2020, em meio a pandemia da covid-19, se percebeu um crescimento acentuado de startups e fintechs digitais voltadas para financiamento e soluções bancárias em todo o mundo. 

Fintechs são o futuro?

O Brasil se consolidou como o maior ecossistema de fintechs da América Latina, e ocupa a 14ª colocação no ranking global, subindo cinco posições comparado com o ano de 2019, quando ocupava a 19ª posição. O índice é liderado por Estados Unidos, Reino Unido, Israel, Singapura e Suíça.

A cidade de São Paulo é o epicentro responsável pelo resultado brasileiro. Em comparação com 2019, a megalópole brasileira subiu uma posição, ocupando a quarta colocação das cidades com maiores fintechs do mundo. 

Outras seis cidades brasileiras figuram no top 20 regional: Belo Horizonte (7ª), Rio de Janeiro (10ª), Curitiba (11ª), Porto Alegre (12ª), Florianópolis (16ª) e Brasília (17ª).

Diversificação 

Nos últimos cincos anos surgiram propostas como crowdfunding (financiamento coletivo, em tradução livre) que visam ofertar crédito em caráter coletivo às causas e a projetos de alto risco que contam com mais de um investidor majoritário.   

O segundo modelo de empresas digitais são os peer to peer (ponto a ponto, em tradução livre), em que plataformas possibilitam pessoas emprestarem diretamente para outras por um custo menor.

O co-fundador do Aciex Bank e diretor de marketing e investimentos do Banker It, Everson Magalhães Jr, pontua como a crescente procura por este tipo de negócio cresceu de maneira exponencial. Ele destaca que há “dinheiro no mercado, mas faltam bons projetos para serem financiados”.    

Possíveis percalços  

A projeção da inflação para 2021 é de 9,70%, de acordo com a nova revisão feita pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Isto constrói expectativas sobre um novo aumento nas taxas de juros para conter o avanço do índice inflacionário.  

“São variáveis que fogem ao controle de quem empreende, por isso o empreendedor precisa estar atento no seu negócio para se adaptar e dimensionar quanto e como tomar crédito”, aponta Everson.

Projeções de longo prazo

Everson Magalhães destaca que a expectativa é que haja aumento no número de empreendimentos como fintechs no mercado produtivo. 

“O mundo digital possibilitou otimização de recursos e isto se reflete também em linhas de crédito e serviços com custo menor e acessível. Desta forma, há uma projeção de que a cadeia de bancos digitais passe por um boom de médio prazo e isso corrobora para que o cliente final passe ter uma diversidade de opções para buscar recursos ou investimentos”. 

Foto: Pexels/Reprodução