Empreendedorismo Online: O que você precisa saber para seguir este caminho

Em 2020 empreendedores passaram a representar 30% da força produtiva do PIB brasileiro

Publicado por Acieg em 30 de março de 2021

Pensar e executar uma nova proposta de negócio pode ser um desafio, principalmente quando passamos por um período pandêmico, como o atual. Inúmeros autogestores passaram a operar seus negócios, que até então eram físicos, de forma online, portanto, devido ao isolamento causado pelo vírus, propostas comerciais passaram a ser transformadas e adaptadas ao universo da web.

De acordo com o levantamento da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), em 2019, 52 milhões de brasileiros possuem negócio próprio. Deste total, 9,031 milhões são microempreendedores individuais (MEIs), segundo pesquisa feita pelo Sebrae no início de 2020.

Em 2020, o Brasil alcançou um número recorde de empreendedores na história, com esta parcela correspondendo a 30% do Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB).

Todavia, o processo de criar um novo negócio ou migrá-lo ao universo online tem demonstrado desafios, entre eles: a dificuldade de compreensão do processo de vendas online, qual é o nicho atendido, a comunicação de todo o processo do empreendimento e como vender de forma eficiente. 

Pensando em saber quais são os melhores passos básicos, o mercado com maior possibilidade de retorno e dicas de como pensar e fazer migração de um negócio físico para o online, a Acieg entrevistou o professor e mestre de Relações Públicas (RP) da Universidade Federal de Goiás (UFG), Carlos Martins.

Os primeiros passos

Conceber um negócio no universo da internet pode ser um desafio e caso não tenha um planejamento para sua proposta, ela pode cair por terra. O professor e especialista em gestão, Carlos Martins, pondera que o primeiro item necessário para abrir um e-commerce é ter um plano estratégico. 

Por conseguinte, realizar uma pesquisa mercadológica que dará um leque de informações que podem fazer sua loja online se diferenciar das outras. É preciso compreender a dinamicidade do mercado local e quais são as semelhanças do seu negócio com outras propostas já existentes. Isso poderá ajudá-lo a construir os diferenciais para se destacar no mercado. 

A próxima etapa é organizar e executar os gastos, tendo como critério de visão a médio e longo prazo, pois eles serão indicadores para entender o crescimento do negócio e quais os passos devem ser repensados. Em sequência criar metas e objetivos que demarquem a direção em que deseja expandir na web. 

Depois de definir seu nicho mercadológico e estratégias, é importante ter em mente qual plataforma será adequada para sua loja online. Por conseguinte, vem a definição de estratégias de comunicação para se vender o produto e qual o público visa atender. Essas estratégias básicas destacadas pelo especialista em gestão podem dar o norte para abertura de uma proposta e-commerce. 

Se há dúvida quanto em que área investir, o professor Carlos enxerga que há quatro nichos com potenciais de crescimento durante a pandemia causada pela covid-19. O mercado de moda especializado, os serviços de alimentação saudável, plataformas e métodos de educação EAD e online e por fim a gestão empresarial com ênfase no universo online são alguns exemplos. 

Para ir além e se consolidar

Chegou o momento em que foi criado o negócio, sendo os primeiros três meses o marco inicial e o tempo necessário para avaliar se o processo está indo de acordo com cronogramas e metas estipuladas.

Carlos destaca que neste momento inicial, pode ser crucial observar se as suas estratégias comunicativas para vendas online estão surtindo efeito, recomendando ao empreendedor ter a constância de avaliar se as métricas de acesso e fluxo de acesso estão correspondendo ao retorno financeiro mensurado.

Avaliar constantemente seus acessos e alcance pode dar um horizonte de sua abrangência e o que impede este potencial consumidor não estar comprando em sua loja online. Têm sido usadas como referência plataformas do Google, como Analytics e Meu Negócio para entender o seu processo de engajamento e por darem ao usuário relatórios de desempenho em campos de pesquisa da plataforma. Porém plataformas de redes sociais, como Instagram, têm se destacado na produção de informes de perfis de vendas.

Um dos principais tópicos necessários a ser levado em consideração é como sua comunicação de fidelização com o cliente está funcionando. Assimilar e criar estratégias como promoções personalizadas ou e-mails paulatinos estão entre várias formas de atrair e manter sua clientela.

Após trabalhar sistematicamente os fatores levantados e fazer uma avaliação do seu volume de vendas e qualidade de sua plataforma (levando em conta a qualidade de atendimento, alcance, engajamento e o crucial – o lucro). Então chegará o momento que tanto deseja realizar, a hora da a expansão.

Percebendo o seu crescimento e os indicadores que precisam melhorar com a amplificação do e-commerce, então, chegou o momento em que o investimento e o aumento do projeto pode ser realizado. Todavia, é necessário ter cautela e bastante discernimento para investir mais. Ser realista e cuidadoso no processo de expansão pode ser a garantia de um crescimento no momento ideal e da maneira certa.

Migração Digital

Um dos processos desencadeados nos últimos anos foi a migração de comércios e lojas físicas para o universo online. Empreendedores tentam ampliar seu negócio e alcance por meio das facilidades e das quebras de barreira que a internet causa. Isso pode representar uma amplificação de lucro e clientela. Todavia, Carlos Martins destaca a importância de pensar como fazer esse processo.

A dica é ter cuidado, principalmente para alguns comerciantes que têm uma marca tradicional e consolidada. Essa recomendação se deve pelo perigo de adaptar um empreendimento alicerçado para um universo que requer uma reformulação de como vender, como comunicar e fidelizar seus consumidores. Carlos entende que principalmente pelo contínuo lockdown causado pela covid-19, vários negócios se viram obrigados a se adaptar às novas formas de comercializar.

Mas, como ele também pontua, essa pode ser a oportunidade de rever, e quem sabe, criar um novo negócio. Por isso, Carlos entende que ter esse planejamento estratégico pode significar um ótimo momento de reavaliação do negócio, como os seus métodos de atendimento e as estratégias que utilizava no presencial. Isso ajudará a entender a reformulação de conceitos e como apresentá-los na web, sem causar danos a imagem da sua marca.

Ao criar um processo semelhante de iniciar um novo negócio, se faz importante um estudo para entender se o nicho que atendia de forma presencial pode consumir o seu produto de forma online. Dessa forma, essa estratégia precisa abarcar questionamento de como se comunicar com o cliente presencial de forma virtual. O público que atendia anteriormente se comporta de que maneira para compras virtuais? Os seus produtos são atraentes para vendas online? O valor condiz com o que é praticado na concorrência, por exemplo, um marketing place?