Itaú Cultural lança streaming gratuito de cinema e audiovisual brasileiros

A plataforma faz parte das celebrações do cinema brasileiro

Publicado por Acieg em 21 de junho de 2021

No dia da celebração do cinema brasileiro, o Itaú Cultural lançou, em 19 de junho, sua plataforma de streaming Itaú Cultural Play. Com acesso gratuito, o catálogo inicial reúne 135 títulos dos 26 estados brasileiros e o Distrito Federal, abrangendo filmes de ficção, documentários, séries documentais e de ficção, animações para crianças e para adultos, produções experimentais, entrevistas, palestras, curtas e longas-metragens.

O endereço para cadastramento e acesso é itauculturalplay.com.br.

‍A Itaú Cultural Play estreia com mostra dedicada a Glauber Rocha e homenagem ao produtor Luiz Carlos Barreto, dando visibilidade e acesso a produções históricas. Também traz cinema contemporâneo, com filmes reconhecidos pela crítica e premiados em festivais, obras de cinema independente, filmes universitários e mostras temáticas, com parceiros institucionais e de festivais audiovisuais.

Os títulos em cartaz perpassam dos clássicos ao cinema contemporâneo e obras mais recentes e de autoria negra e indígena. A grade também garante equilíbrio de gênero por trás das câmeras, com filmes realizados por 56 diretoras e 64 diretores.

‍“Vamos trazer a diversidade da nossa cinematografia para o grande público, gratuitamente, cumprindo nosso compromisso de ampliar o acesso à cultura brasileira”, diz Eduardo Saron, diretor da instituição. No futuro, a plataforma poderá ter salas com sessões especiais pagas, sem afetar o propósito central de ofertar conteúdo gratuito.

A diversidade é outro eixo do projeto. “A plataforma tem o cuidado de cobrir a diversidade temática e geográfica da produção nacional e aproximar o público deste conteúdo”, complementa Saron.

‍A chegada do Itaú Cultural ao mercado de streaming culmina um longo ciclo de relação da instituição com o mundo da arte e o uso intenso de tecnologia. A organização tem atuação histórica (veja na Linha do Tempo), desde a sua criação, quando produziu uma série de documentários chamada Panorama Histórico Brasileiro (PHB), depois distribuída em escolas públicas quando elas ainda recebiam filmes em VHS para apoio pedagógico.