Goiânia Mostra Curtas celebra 20 anos de história em 2021

Realizado entre os dias 23 a 28 de novembro, a 20ª edição do festival traz programação gratuita e totalmente online. Oficina e aula estão com inscrições abertas até 15 de novembro

Publicado por Acieg em 26 de outubro de 2021

Está chegando mais uma Goiânia Mostra Curtas. A 20ª edição do festival será realizada de 23 a 28 de novembro, de forma online. Em 2021, o festival de cinema, que foi o primeiro a ser realizado na capital goiana, celebra os seus 20 anos de história.

O festival será gratuito.

“A mostra precisou passar por mudanças este ano e, por isso, será realizada totalmente online, de forma mais enxuta e reduzida, sem mostras competitivas, mas não menos especial. Excepcionalmente será no mês de novembro, e esperamos futuramente manter a tradicional data em outubro”, ressalta a diretora-geral e produtora da Goiânia Mostra Curtas, Maria Abdalla.

A Goiânia Mostra Curtas se tornou um dos mais expressivos festivais no circuito cinematográfico de curta-metragem do Brasil. “Seguimos na missão de contribuir para o desenvolvimento e crescimento do audiovisual no Centro-Oeste e no Brasil, buscando sempre a valorização da regionalidade como linguagem e colocando em evidência a diversidade cultural brasileira no fortalecimento de uma sociedade tolerante, solidária e cidadã”, afirma.

Programação

A programação trará a exibição dos Filmes Premiados da Curta Mostra Brasil e da Curta Mostra Goiás durante os 20 anos de Goiânia Mostra Curtas, com curadoria de Maria Abdalla; a 19ª Mostrinha – Filmes Premiados pelo Júri Popular Infantil, com curadoria também de Maria Abdalla.

Já a Curta Mostra Brasil – Os Caminhos do Brasil, com 20 filmes de 2020 e 2021, apresenta um período em que as produções se tornaram mais difíceis, mas também que trouxe curiosas descobertas. A seleção apresenta um equilíbrio entre o número de realizadores mulheres e homens.  A curadoria é de Beth Sá Freire, diretora do Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo.

A Curta Mostra Especial traz o tema “Nós somos a guerra!” e conta com a curadoria de Kênia Freitas, pesquisadora e crítica de cinema. Serão exibidos  curta-metragens brasileiros feitos entre 1968 e 2021. Os filmes estão divididos em dois programas: “Dissonâncias e Ecos Subterrâneos” e “Corpos em Transe e em Colisões”.

O primeiro concentra narrativas especulativas e delirantes, que ora sussurram e ora gritam as táticas de resistência e contra-ataque utilizadas frente à distopia brasileira. No segundo, os corpos e corpas são colocados na linha de frente das lutas – em performance e/ou protestos, o corpo se choca, explode, perturba e confronta.

Além dos filmes, a Curta Mostra Especial terá o debate “Coletivo, anarco, marginal: alianças e conspirações partilhadas nos cinemas em guerra”. A mediadora é Kênia Freitas, com os convidados Gilmar Galache (Ascuri Brasil), Lorran Dias (Anarca Filmes), Liv Costa e Sunny Maia, Esaque Mendes e Nikson Junior (Cine Leblon).

O debate acontecerá através do canal do Icumam no YouTube: youtube.com/icumam.

Já a exibição online das mostras será através da plataforma InnSaei.TV. Em breve, a lista de filmes será divulgada no site da Goiânia Mostra Curtas. O festival terá uma homenageada especial.

A programação inclui ainda debates, palestra, bate-papo, oficina e aula, pocket show, entre outras atividades. As inscrições para as atividades formativas online gratuitas estão disponíveis em www.goianiamostracurtas.com.br.

Na parte de formação, as atividades estão com inscrições abertas de 26 de outubro (terça-feira) a 15 de novembro. Uma delas será a oficina com o diretor Cristiano Burlan. Com o tema “Narrativas Documentais”, a proposta é uma reflexão sobre os meios e modos de produção e realização do documentário no Brasil, buscando compreender se existe uma distinção entre documentário e ficção.

Silvia Cruz, fundadora da Vitrine Filmes, que atua na distribuição de filmes independentes brasileiros, estará à frente da aula sobre “Distribuição cinematográfica e mercado audiovisual brasileiro”. Entre os assuntos abordados, está o cenário audiovisual brasileiro nas suas batalhas e conquistas dos últimos anos, além de possíveis modelos de negócio dentro do cenário social e econômico atual.